Pais Prepararam Marília Pêra Desde Criancinha Pra Ser A

20 May 2019 10:24
Tags

Back to list of posts

<h1>Pais Prepararam Mar&iacute;lia P&ecirc;ra Desde Guria Pra Ser Atriz</h1>

<p>Mar&iacute;lia P&ecirc;ra entrou num palco na primeira vez em um cl&aacute;ssico: &quot;Medeia&quot;, de Eur&iacute;pides. Era guria ainda. Foi preparada desde cedo pelos pais, os atores Manuel P&ecirc;ra e Dinorah Marzullo, pra ser atriz. Eu n&atilde;o me achava encantadora. No comecinho da exist&ecirc;ncia, sim, quando meus pais, Manuel P&ecirc;ra e Dinorah Marzullo, tamb&eacute;m atores, comungavam a moradia com o teatro e havia ali alguma harmonia.</p>

<p>Voc&ecirc; me pergunta se, pra ser atriz, &eacute; preciso ter o dom no sangue. Bem, no meu caso, fui preparada por meu pai e minha m&atilde;e para entrar em cena. Minha primeira pe&ccedil;a foi Medeia, de Eur&iacute;pides. A companhia se chamava Os Artistas Unidos e era estrelada por uma atriz extraordin&aacute;ria, Henriette Morineau. N&oacute;s todos a cham&aacute;vamos de madame Morineau e sent&iacute;amos por ela uma mistura de afeto e susto.</p>
<ul>

<li>9 Liberdade de Expressao</li>

<li>Carinho alegou</li>

<li>Cad&ecirc; o dinheiro que tava neste local</li>

<li>quatro O adult&eacute;rio pela B&iacute;blia 4.Um No catolicismo</li>

</ul>

<p>Era &quot;uma atriz tr&aacute;gica&quot;, desta forma se dizia. Confira A Programa&ccedil;&atilde;o De Cinema Na Regi&atilde;o De Ribeir&atilde;o At&eacute; 10 De Setembro dirigia todos os espet&aacute;culos. As atrizes, antigamente, escolhiam o texto, produziam, dirigiam e estrelavam os espet&aacute;culos efetuados por tuas companhias de teatro. S&oacute; novas se arriscam a dirigir, hoje. Madame Morineau era tr&aacute;gica porque interpretava personagens s&eacute;rios, mulheres angustiadas, misteriosas, doentes. Existe Afeto No Tinder? uma pe&ccedil;a que se chamava O Pecado Original, de Jean Cocteau, na qual ela interpretava uma mulher diab&eacute;tica que espetava a pr&oacute;pria coxa com inje&ccedil;&otilde;es de insulina.</p>

<p>Era um protagonista que exigia muito esfor&ccedil;o f&iacute;sico e, ao t&eacute;rmino de cada espet&aacute;culo, madame Morineau permanecia uns quarenta minutos meio &quot;desmaiada&quot;, se recuperando no camarim, antes de se alinhar e ganhar o p&uacute;blico que desejava cumpriment&aacute;-la. Essa atriz &quot;tr&aacute;gica&quot;, aos s&aacute;bados e domingos, &agrave;s 10 da manh&atilde;, colocava um nariz posti&ccedil;o, uma peruca preta desgrenhada, e se transformava pela bruxa da pe&ccedil;a infantil &quot;O Casaco Encantado&quot;, de L&uacute;cia Benedetti.</p>

<p>Meu pai era o bruxo; minha m&atilde;e, a princesinha; e eu, o pajem do Rei. Acho que pecado era uma frase que interessava ao vasto p&uacute;blico: constava de dois t&iacute;tulos de espet&aacute;culos de sucesso da data. Em &quot;Uma Rodovia Chamada Pecado&quot;, n&atilde;o havia papel de mo&ccedil;a. Eu n&atilde;o entrava, todavia assistia &agrave; encena&ccedil;&atilde;o diariamente das coxias, local m&aacute;gico, minha faculdade de teatro.</p>

<p>Madame Morineau interpretava Medeia. Meu pai, falecido em 1967, era Jas&atilde;o, marido de Medeia, e minha m&atilde;e interpretava &quot;o coro&quot; com outras duas atrizes: Margarida Rey e Antoinette Morineau, filha de madame Morineau. Quando entrei em cena pela primeira vez, n&atilde;o tinha no&ccedil;&atilde;o do que fazia, contudo fazia direitinho o que me mandavam. Tenho uma vaga lembran&ccedil;a de minha m&atilde;e colocando uma fita de cetim branco em volta de minha cabe&ccedil;a e me vestindo uma t&uacute;nica grega, tamb&eacute;m branca. Eu era um dos 2 filhos de Medeia.</p>

<p>Creio que foi meu pai quem me deu as primeiras dicas pra entrar em cena, apesar de que a diretora fosse madame Morineau. Eu tinha que entrar pelas m&atilde;os de um ator mineiro chamado Jo&atilde;o Ceschiatti, ao lado do meu &quot;irm&atilde;o&quot;, o outro filho de Medeia. Havia uma rampa no fundo do palco e os atores precisavam galg&aacute;-la para se tornarem expl&iacute;citos ao p&uacute;blico. Ceschiatti ficava ao centro, e eu e meu &quot;irm&atilde;o&quot;, cada um de um lado. Essa rampa me parecia vasto, todavia hoje, pensando a respeito, penso que meu ponto de vis&atilde;o de mo&ccedil;a aumentava sua extens&atilde;o. Como Dar Uma Virada No Seu Casamento - Pra Muito Melhor! /p&gt;
</p>
<p>Meus pais faziam quota desta companhia de teatro que se apresentava por todo o Brasil com in&uacute;meros espet&aacute;culos. As pe&ccedil;as das quais eu participava eram &quot;Medeia&quot;, &quot;Frenesi&quot; e &quot;O Casaco Encantado&quot;. Acho que a cada semana se apresentava uma delas. Aos s&aacute;bados e domingos, pela manh&atilde;, encen&aacute;vamos &quot;O Casaco Encantado&quot; e havia muitas pe&ccedil;as das quais eu n&atilde;o participava. Meu pai era vinte e quatro anos mais velho do que minha m&atilde;e. Sendo assim, no teatro, ele era a toda a hora marido ou amante de algumas, enquanto minha m&atilde;e interpretava namorada de outros, ou criadinha sapeca, ou fazia divis&atilde;o do coro de lindas.</p>

Comments: 0

Add a New Comment

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License